top of page

Como me libertar da compulsão alimentar?

Olá! Se você está aqui, talvez você suspeite que esteja vivendo as chamadas compulsões alimentares. Vamos falar sobre isso?



compulsão alimentar


Para o tratamento da compulsão alimentar, o primeiro passo é entender o que ela é! Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V):


Compulsões alimentares são episódios em que há o consumo de uma grande quantidade e alimento - muito maior do que as pessoas comeriam em geral - em um curso espaço de tempo, associado a uma sensação de descontrole.

Ou seja, não se trata de comer dois pedaços de pizza a mais!


Quem já viveu (como eu) diz que é como se você fosse tomado por um desejo incontrolável de comer, de forma muito rápida e com sensação de descontrole, quantidades muito grandes de comida (como, por exemplo, uma pizza inteira, mais um pote de sorvete - ou mesmo comidas nem tão "gostosas", como comida gelada ou crua).


Você se identifica com isso?


Se sim, o próximo passo é entender o não são as compulsões alimentares:


Compulsão alimentar não é falta de falta de controle seu, ou indisciplina.


Compulsões alimentares são uma condição que tem causas e tratamentos. (Inclusive, se elas acontecem mais de 3x na sua semana, é possível investigar o diagnóstico de Transtorno de Compulsão Alimentar). São condições complexas, mas, em geral, podemos olhar para as compulsões alimentares como tendo duas causas gatilhos: gatilhos alimentares e gatilhos emocionais.



Causas e gatilhos alimentares


Dentre os gatilhos alimentares, é preciso investigar como é seu comportamento alimentar em geral (por exemplo, se você faz muitas restrições ou proibições de vários alimentos, o que pode ser o gatilho das compulsões) ou seu padrão alimentar (se há muitos jejuns, refeições desorganizadas e insuficientes).


Por exemplo, sugiro observar: antes da compulsão, você fez muitas restrições alimentares? Está tentando seguir alguma dieta restritiva? Fez algum jejum longo? Cortou algum tipo de alimento que você gosta? Será que você tem saído das suas refeições bem alimentado ou ainda sai com fome?


Nesse processo, um nutricionista especializado pode te ajudar, e o tratamento não é feito com dieta! E sim te ajudando a encontrar um ritmo alimentar que funcione para você, que inclua os alimentos que você goste, que seja respeitoso com seus sinais de fome e saciedade.



Causas e gatilhos emocionais


Sobre os gatilhos emocionais, se tratam de emoções, situações e pensamentos que estão nos gatilhos das compulsões alimentares. Por exemplo, às vezes a compulsão alimentar pode ser a forma de lidar com dores, uma forma de engolir sentimentos ignorados, ou uma forma de anestesiar desconfortos.


Começar a observar quais emoções e sentimentos podem ter ocorrido antes de você ter a compulsão pode ser um bom caminho! Contar com um psicólogo especializado também pode facilitar esse processo.



Por fim, o tratamento de compulsão alimentar envolve um fator chave: auto observação.


Ao ter um episódio de compulsão alimentar, experimente substituir a culpa por uma postura de análise: o que havia acontecido antes da compulsão? Ocorreu alguma situação chata? Ou como você estava se sentindo? Que pensamentos passaram pela sua cabeça? Você havia se alimentado em suficiência, sem passar fome ou fazer muitas restrições?



PS: Busque ajuda! Há tratamento e recuperação, e você merece viver de bem com seu prato!


PS2: meu livro Em Paz com a Comida pode também ajudar nesse processo! Veja aqui!





Veja mais